Quem sou eu

Minha foto

Maurizio Gaspari Pupo é Farmacêutico e Especialista em Cosmetologia.

sábado, 21 de janeiro de 2012

ÓLEO ESSENCIAL DE MELALEUCA E APLICAÇÃO EM COSMÉTICOS


O Óleo Essencial de Melaleuca é originário da planta nativa australiana Melaleuca alternifolia (1). Ele foi descoberto nos anos 20 como um anti-séptico tópico mais potente que o fenol (6). Recentemente, tem aumentado seu uso como um antimicrobiano no controle da acne e das tineas (1).

O Óleo Essencial de Melaleuca é imensamente popular para várias aplicações tópicas e estudos in vitro demonstraram sua atividade antibiótica. Sua eficácia no controle da acne e de infecções fúngicas também é relatada em estudos (3). 

Evidências Científicas 


Ação contra o Propionibacterium acnes e outros microrganismos (4)

Os principais componentes do Óleo Essencial de Melaleuca foram identificados por cromatografia em camada delgada e por cromatografia a gás por pesquisadores do Departamento de Farmácia, no King's College London, Reino Unido.

Os resultados dessa pesquisa, publicados no jornal Letters in Applied Microbiology, mostraram que os componentes terpinen-4-ol, alfa-terpineol e alfa-terpineno mostraram-se ativos contra o Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis e Propionibacterium acnes.

Esse estudo dá suporte ao uso do Óleo Essencial de Melaleuca como coadjuvante no tratamento da acne.

Tão eficaz quanto o Peróxido de Benzoíla (2)

O Óleo Essencial de Melaleuca é tão eficaz quanto o Peróxido de Benzoíla no controle da acne inflamatória e não-inflamatória. Essa foi a conclusão de uma pesquisa realizada no Departamento de Dermatologia do Royal Prince Alfred Hospital, em Camperdown na Austrália, e publicada no The Medical Journal of Australia.

Foi realizada uma triagem randomizada e simples-cega em 124 pacientes apresentando acne leve à moderada, e avaliada a eficácia do tratamento com um gel contendo 5% de Óleo Essencial de Melaleuca ou 5% de Peróxido de Benzoíla.

Os resultados mostraram que ambos os tratamentos tiveram um bom resultado na redução do número de lesões inflamatórias e não-inflamatórias, como os comedões. Poucos efeitos adversos foram experienciados pelos pacientes que aplicaram o Óleo Essencial de Melaleuca.

Eficaz e bem-tolerado no tratamento da caspa (8)

Foi conduzido um estudo randomizado, simples-cego e grupo-paralelo, investigando a eficácia e a tolerabilidade do Óleo Essencial de Melaleuca 5% e placebo em pacientes com caspa leve à moderada. Foram randomizados 126 homens e mulheres com idade acima de 14 anos que utilizaram, diariamente, por 4 semanas. 

A caspa foi pontuada numa escala de severidade por quadrante por auto-avaliação do paciente, pontuando a descamação, a coceira e a oleosidade.

O shampoo com 5% de Óleo Essencial de Melaleuca mostrou resultados significativos (41% de melhora), enquanto o grupo placebo apresentou 11% de melhora, como mostrado no gráfico.

Esse estudo, também de pesquisadores do Departamento de Dermatologia do Royal Prince Alfred Hospital, em Camperdown na Austrália, porém publicado em 2002 no Journal of the American Academy of Dermatology mostrou que o shampoo com 5% de Óleo Essencial de Melaleuca pareceu efetivo e bem tolerado no tratamento da caspa.

Redução da inflamação histamina-induzida na pele (1)

Realizou-se uma aplicação intradérmica de difosfato de histamina (5 mcg em 50 mcL) no antebraço de 27 voluntários. Foram medidas a cada 10 minutos, por 1 hora, a área de vermelhidão e de inchaço e a espessura da pele.

No tempo de 20 minutos foi aplicado 25 mcL do Óleo Essencial de Melaleuca no antebraço de 21 voluntários. No antebraço dos outros 6 voluntários foi aplicada parafina.

Os resultados mostraram que a área de vermelhidão não diminuiu na área tratada com o Óleo Essencial de Melaleuca, entretanto, o volume do inchaço diminuiu significativamente após sua aplicação.

Esse estudo foi desenvolvido por pesquisadores do Departamento de Dermatologia do Flinders Medical Centre, em Bedford Park na Austrália, e publicado no British Journal of Dermatology, em 2002. Foi uma descoberta que somou mais uma propriedade ao Óleo Essencial de Melaleuca, pois mostrou experimentalmente que sua aplicação pode reduzir a inflamação histamina-induzida na pele.

Mecanismo de ação do Óleo Essencial de Melaleuca

Na inflamação
Supressão de mediadores pró-inflamatórios

Foi comprovado em estudo in vitro que os seus componentes hidrossolúveis podem suprimir a produção de mediadores pró-inflamatórios ativados pelos monócitos humanos. Os componentes identificados foram o terpinen-4-ol (42%), alfa-terpineol (3%) e 1,8-cineol (2%). (5)

No controle microbiológico
Ação anti-séptica

Os seus componentes terpinen-4-ol, alfa-terpineol e alfa-terpineno mostraram-se ativos contra o Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis e Propionibacterium acnes. (4)

Em estudo in vitro mostrou que sua ação anti-séptica se realiza, em parte, devido à ativação de células brancas do sangue. (6)

Formulações contendo Óleo Essencial de Melaleuca mostraram atividade antimicrobiana máxima em pH 5,5. (7) 

Precauções 


Seu uso é relativamente seguro com eventos adversos limitados e ocasionais, ocorrendo reações alérgicas em indivíduos com pré-disposição e irritação cutânea quando utilizado em altas concentrações. É potencialmente tóxico se ingerido em altas doses, porém não é genotóxico. (9) 

Referências Bibliográficas 


1.Koh KJ, Pearce AL, Marshman G, Finlay-Jones JJ, Hart PH. Tea tree oil reduces histamine-induced skin inflammation. Br J Dermatol. 2002 Dec;147(6):1212-7.
2.Bassett IB, Pannowitz DL, Barnetson RS. A comparative study of tea-tree oil versus benzoylperoxide in the treatment of acne. Med J Aust. 1990 Oct 15;153(8):455-8.
3.Ernst E, Huntley A. Tea tree oil: a systematic review of randomized clinical trials. Forsch Komplementarmed Klass Naturheilkd. 2000 Feb;7(1):17-20.
4.Raman A, Weir U, Bloomfield SF. Antimicrobial effects of tea-tree oil and its major components on Staphylococcus aureus, Staph. epidermidis and Propionibacterium acnes. Lett Appl Microbiol. 1995 Oct;21(4):242-5.
5.Hart PH, Brand C, Carson CF, Riley TV, Prager RH, Finlay-Jones JJ. Terpinen-4-ol, the main component of the essential oil of Melaleuca alternifolia (tea tree oil), suppresses inflammatory mediator production by activated human monocytes. Inflamm Res. 2000 Nov;49(11):619-26.
6.Budhiraja SS, Cullum ME, Sioutis SS, Evangelista L, Habanova ST. Biological activity of Melaleuca alternifola (Tea Tree) oil component, terpinen-4-ol, in human myelocytic cell line HL-60. J Manipulative Physiol Ther. 1999 Sep;22(7):447-53.
7.Biju SS, Ahuja A, Khar RK, Chaudhry R. Formulation and evaluation of an effective pH balanced topical antimicrobial product containing tea tree oil. Pharmazie. 2005 Mar;60(3):208-11.
8.Satchell AC, Saurajen A, Bell C, Barnetson RS. Treatment of dandruff with 5% tea tree oil shampoo. J Am Acad Dermatol. 2002 Dec;47(6):852-5.
9.Hammer KA, Carson CF, Riley TV, Nielsen JB. A review of the toxicity of Melaleuca alternifolia (tea tree) oil. Food Chem Toxicol. 2006 May;44(5):616-25. Epub 2005 Oct 21.

Prof. Maurício Gaspari Pupo
Farmacêutico Especialista em Cosmetologia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.